JAIME ARANTES

Gostou? Então curte aí!

Quem critica os gastos com a Copa do Mundo no Brasil provavelmente está mal informado

De acordo com previsões oficiais, foram investidos dos governos federal, estaduais e municipais R$ 25,8 bilhões no evento. O valor seria o equivalente a 9% das despesas públicas anuais em educação, de R$ 280 bilhões – ou um mês de gasto com o setor.

O custo de todos os 12 estádios da Copa de 2014 é de R$ 8 bilhões, todos eles na forma de empréstimos - não de investimentos públicos - do BNDES, portanto, dinheiro a ser devolvido ao banco estatal nos prazos contratuais. Se considerados apenas os R$ 8 bilhões emprestados, o gasto representa o que se gasta em apenas uma semana com educação no Brasil.

Nem vou falar que só com os gastos dos turistas estrangeiros durante a Copa o Brasil vai receber o que emprestou para construir os estádios. Nem vou falar do que já foi construído ou ampliado e que ficará depois da Copa.

Na verdade, os 25,8 bilhões incluem a infraestrutura criada ou ampliada que usa a Copa como pretexto (aeroportos, BRTs, avenidas, VLTs etc.). Isso não é “gasto com a Copa”, é gasto em serviços públicos essenciais que foi acelerado a partir do “embalo” da Copa.

Enfim, quanto ao fato de nossos estádios serem absurdamente mais caros que os de Copas anteriores, isso é MENTIRA. Todas as “análises” que vi apontando esse suposto “superfaturamento absurdo” manipulam os dados, comparando sutilmente euros (ou dólares) com reais sem fazer o câmbio, ou apresentando custos de obras europeias inauguradas em 2004, 2003, e até nos anos 1990!

E ainda vêm com um “custo por assento”, como se a metragem de arquibancada fosse um bom termo de comparação, desconsiderando o tipo de solo, a área total (pode ter menos assentos mas mais infraestrutura, serviços etc.). Mas, mesmo por assento, nossos preços estão na média dos estádios recentes. Liga para a Vale e pergunta quanto custava a tonelada do minério de ferro em 2002, e compara com o preço de hoje.

A realidade é que praticamente todos os estádios recentes (do porte dos brasileiros) custaram entre 300 e 500 milhões de euros, que é exatamente o custo das arenas brasileiras.

Mas quem só quer reclamar, quem se deixa levar pelas mentiras, calúnias e confusões criadas pela mídia monopolista (de direita), não quer saber desses números, não é mesmo? Pois só quer reclamar e dar uma de papagaio gratuito da tucanada.

Por Jaime Arantes

+CULTURA: "Aliança Artística e Proletária de Quixadá"

Em 1921, trabalhadores urbanos (alfaiates, sapateiros, ferreiros, mecânicos, professores, pequenos comerciantes, etc.) se reuniram em uma associação de "resistência e benefício", a Aliança Artística e Proletária de Quixadá.

Além da ajuda financeira mútua para socorrer os doentes, desempregados e as famílias desamparadas, os associados fundaram uma escola noturna para atender aos próprios trabalhadores e seus filhos.

Entendiam que a educação ajudaria na efetivação dos direitos sem ofender a ordem pública, outro objetivo da aliança. Liderada em Quixadá pelo Pe. Luis Braga Rocha, a legião tinha o objetivo de afastar os trabalhadores da influência de ideias contrárias à igreja.

A fundação da Aliança Artística e Proletária de Quixadá nasceu do idealismo de um grupo de artistas que sentiu a desorganização e abandono em que se encontravam os operários, vítimas de uma sociedade cheia de preconceitos e discriminação social.

No domingo de 19 de junho de 1921, às 13 horas, num prédio da Rua do Comércio, hoje ocupado pelas instalações da Telemar, na esquina das atuais ruas Laert Pinheiro e Tabelião Enéas, onde funcionava a sapataria do Sr. José Carlos da Silva, realizou-se a sessão de fundação da Aliança. (veja foto ao lado)

Ficou estabelecido que seriam considerados sócios fundadores todos os que se associassem até a sessão de 03 de julho de 1921. Após aquela data, qualquer sócio teria que pagar $10000 (dez mil réis), sendo $5000 de jóia, $2000 do diploma e duas mensalidades de $1500 cada.

Pintura de Waldizar Viana
a partir de fotografia










A Aliança reunia trabalhadores de vários ofícios: Jacinto de Sousa, os alfaiates Emydgio Cabral e José Moreira Facundo, o barbeiro Acelino Cabral, o artesão de couro José Carlos da Silva, o sapateiro Manoel Rodrigues, o pedreiro Vicente Ferreira, entre outros.A antiga sede do grupo, que foi substituída na década de 1960, pode ser vista numa pintura de Waldizar Viana. Seu lema era "Coragem, Amor e Trabalho".

O monumento aos trabalhadores, na Praça da Estação, tem ligação direta com a Aliança Artística e Proletária. 

A associação sobreviveu até a década de 1960. O prédio não existe mais.

SUGESTÃO DE LEITURA:
O livro "Retalhos da História de Quixadá", escrito por João Eudes Costa, contém preciosas informações sobre a história de Quixadá, inclusive sobre a Aliança. Sem dúvida, João Eudes escreveu um livro de leitura obrigatória a todos os quixadaenses. 

FONTE: Ângela Borges e "Retalhos de Quixadá -Blog". 

SECRETÁRIA DE SAÚDE NÃO VAI À CÂMARA E DIZ AOS VEREADORES QUE JÁ TINHA OUTRO COMPROMISSO AGENDADO

QUIXADÁ, 10/10/2013 - Na semana passada a Câmara Municipal de Quixadá aprovou requerimento CONVIDANDO a Secretária de Saúde, Aida Magalhães, para prestar esclarecimentos acerca da grave crise de saúde que se abateu sobre o município. O convite, elaborado pelo vereador Luiz do Hospital, gerou grande expectativa na população, já que todos desejam entender o que está acontecendo em Quixadá. 

Aida Magalhães alegou que já tinha um compromisso agendado com o Secretário de Saúde do Estado, Ciro Gomes, e que não poderia ir à Câmara hoje. Ela também solicitou que qualquer CONVITE a ela deveria ser feito com quinze dias de antecedência. Aida deixou claro que não estava se furtando a atender o convite, mas que hoje seria inviável por causa dos compromissos já agendados. 

Muitos cidadãos quixadaenses começam a se perguntar se não seria o momento de os vereadores começarem a CONVOCAR as autoridades públicas, e não apenas CONVIDÁ-LAS.  Muitos outros CONVITES  já foram rejeitados sem cerimônia alguma, e até solicitações por informações importantes são negadas aos vereadores, o que, sem dúvida, enfraquece a imagem do legislativo perante o povo. Afinal de contas, será que as autoridades do município sempre terão outros compromissos agendados e nunca se prestarão a oferecer esclarecimentos a pedido dos vereadores? 

Jaime Arantes

CURTO-CIRCUITO: PSB reage a Marina e diz que candidato em 2014 é Campos

10/10/2013 - Um dia depois de a senadora Marina Silva afirmar em entrevista à Folha que tanto ela quanto o governador Eduardo Campos são "possibilidades" para 2014, integrantes do PSB afirmaram que o nome que aparecerá na urna no dia 5 de outubro de 2014 como o candidato do partido à Presidência será o de "Eduardo Henrique Accioly Campos".

"Não tem isso de discutir lá na frente posição na chapa. A candidatura posta é a de Eduardo e ela vai até o dia da eleição. A cabeça de chapa se chama Eduardo Henrique Accioly Campos e esse será o nome na urna no dia da eleição", afirmou o secretário-geral do PSB, Carlos Siqueira.

Um dos congressistas que participaram da articulação para a aliança Campos-Marina, o senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) também negou a possibilidade de que o governador possa vir a ceder a vaga a Marina, a depender das circunstâncias.

"Os que apostarem em uma disputa entre Eduardo e Marina vão perder. Não tenho nenhuma dúvida de que a Marina fez opção pela candidatura do Eduardo, e essa candidatura vai até o fim."

Nesta terça (9), Marina reclamou do destaque dado à sua declaração e disse que falava só em possibilidades para o Brasil, mas voltou a se negar a responder diretamente se descarta a sua postulação.

Apesar de reconhecerem o constrangimento, integrantes do PSB dizem, nos bastidores, que Marina não deixará clara agora a sua possível desistência de concorrer ao Planalto por dois motivos: risco de desmobilização na Rede, o partido que ela tentou criar, mas foi barrado pela Justiça Eleitoral, e possibilidade de que Campos vire o foco principal dos adversários.

De acordo com o Datafolha, Marina tem 26% das intenções de voto contra 8% de Campos, o que leva militantes da Rede a defender que ela seja a cabeça de chapa.

Anunciada no último sábado, a aliança entre Campo e Marina representou o lance mais surpreendente da corrida ao Planalto e teve o objetivo de criar uma terceira via contra as candidaturas de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).

A ameaça tácita de possível "inversão" de papéis na chapa é só um dos potenciais curtos-circuitos que já surgiram após o anúncio da aliança.

Nos Estados, há chances reais de que Rede e PSB caminhem em lados distintos. Em São Paulo, o PSB tendia a apoiar a reeleição de Geraldo Alckmin (PSDB), mas integrantes da Rede já passaram a defender o nome do deputado federal Walter Feldman, "marineiro".

Em Goiás, a ex-senadora "vetou" publicamente a aliança do PSB com o deputado ruralista Ronaldo Caiado (DEM).

No Distrito Federal, Marina anunciou apoio à pré-candidatura do deputado federal Reguffe (PDT), apesar de o PSB também ter um nome para a disputa, o de Rollemberg.

"O Reguffe trabalhou pela criação da Rede, e é natural que ela manifeste preferência por ele", disse o senador.

Em entrevista na terça, Marina disse que o limite para os acertos com o PSB nos Estados será a "coerência".

FONTE: Folha de São Paulo

PREFEITURA ATENDE REIVINDICAÇÕES DOS MÉDICOS E EUDÁSIO BARROSO NÃO FICARÁ SEM PLANTONISTAS

QUIXADÁ, 09/10/2013 - Após vários dias apreensiva, é com uma sensação de alívio que a população de Quixadá recebe a notícia de que os atendimentos hospitalares no Eudásio Barroso continuarão. A decisão foi tomada durante uma reunião realizada na noite desta quarta-feira, dia 9, entre gestores do município e os médicos plantonistas daquele nosocômio. 

Os médicos haviam dado um prazo para que as três reivindicações fossem satisfeitas pela administração municipal, e esse prazo terminava no fim desta quarta-feira. As reivindicações eram as seguintes: (1) Pagamento dos plantões em atraso; (2) Que haja dois clínicos por plantão, e (3) Regularização do vínculo dos servidores efetivos que estão prestando plantões como terceirizados.

Durante a reunião, houve intenso debate especialmente sobre a possibilidade de dois clínicos atenderem simultaneamente no Hospital, mas os gestores acabaram cedendo. Os médicos estavam irredutíveis em suas solicitações. Conforme eles mostraram, o impacto mensal de manter dois clínicos seria de "apenas" R$ 25.000,00. Em vista disto, o Prefeito João Hudson garantiu à Secretária de Saúde, Aida Magalhães, que seria possível fazer um aporte dos valores necessários à pasta. 

Além disso, os médicos vinculados à cooperativa DINÂMICA, que realiza os pagamentos dos funcionários da saúde no município, esperam restabelecer seus vínculos diretos com a própria prefeitura.  

O Prefeito também garantiu que amanhã, dia 10, os plantões atrasados do mês de agosto serão pagos aos médicos. 

A atuação objetiva do Diretor Clínico, Dr. Kleiber Marciano Lima Bonfim, que por várias vezes contestou a Secretária de Saúde, foi fundamental para que as partes chegassem a uma resolução positiva para todos os que dependem dos serviços no Eudásio Barroso.  

Ainda na terça-feira, dia 8, o Prefeito compareceu a uma audiência com o Promotor de Justiça, Dr. André Clark. Na ocasião, assinou um documento se comprometendo a pagar os médicos e realizar concurso público que supra as necessidades da pasta da saúde no município. 

Jaime Arantes

Cearense elegeria Dilma Roussef para mais um mandato

09/10/2013 - A mais nova pesquisa Vox Populi, encomendada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), mostra que a presidente Dilma Roussef continua na frente da preferência do eleitorado cearense.
Confira os números:
Dilma Roussef - 64%
Marina Silva - 14%
Aécio Neves 6%
Eduardo Campos - 2%
A pesquisa foi realizada entre os dias 29 de setembro a 3 de outubro. No Ceará, o Vox Populi ouviu 1.600 pessoas na capital e no interior. A margem de erro é de 2,25%  pontos percentuais para mais ou para menos.

HOMEM COM O PÊNIS PRESO EM TORRADEIRA ACIONA O CORPO DE BOMBEIROS

09/10/2013 - Muita calma nessa hora. O episódio não aconteceu em Quixadá.
Corpo de Bombeiros de Londres atendeu a uma ocorrência bem diferente do cotidiano.
De acordo com site Daily Mirror, um homem de identidade não revelada acionou resgate depois de ficar com o pênis preso numa torradeira elétrica.
Ainda de acordo com a publicação, desde 2010 outras ocorrências inusitadas já foram registradas na capital da Inglaterra, entre elas: um homem com o órgão genital preso no cano de um aspirador de pó; quatro incidentes nos quais pessoas ficaram com mãos presas em liquidificador; cinco casos de pessoas com mãos presas em picador de papéis; nove homens reclamando de terem anéis apertando no pênis e 79 chamadas para pessoas presas com algemas, que não eram da polícia.
Sobre o caso do homem que ficou com o pênis preso na torradeira elétrica, o Corpo de Bombeiros não revelou detalhes, mas aproveitou a oportunidade para pedir ''bom senso'', pediu ainda que as pessoas só utilizem aparelhos elétricos para os fins aos quais estes são destinados.
FONTE: Jornal O Povo

EM AUDIÊNCIA COM PROMOTOR, PREFEITO DE QUIXADÁ PROMETEU PAGAR MÉDICOS AINDA HOJE

QUIXADÁ, 09/10/2013 - Na última terça-feira, dia 8, autoridades públicas do município de Quixadá estiveram reunidas com representantes do Ministério Público, entre eles o Dr. André Clark, para explicarem a situação da saúde do município, especialmente para esclarecerem a problemática envolvendo o Hospital Eudásio Barroso. 

Os médicos daquele nosocômio deram até às 18 horas de hoje, dia 9, para que três  reivindicações sejam satisfeitas pela administração municipal, a saber: (1) Pagamento dos plantões em atraso; (2) Que haja dois clínicos por plantão, e (3) Regularização do vínculo dos servidores efetivos que estão prestando plantões como terceirizados, o que, aparentemente, é ilegal

No documento abaixo, que resume a reunião entre as autoridades do Executivo e a Promotoria Pública de Quixadá, ocorrida ontem, o Prefeito João Hudson se comprometeu a pagar todos os plantões atrasados, e disse que fará isso ainda hoje. A realização de um concurso público também foi prometida. A tentativa é de evitar que os plantonistas parem os atendimentos. 

Não há, porém, no documento, nenhuma explicação sobre as razões para a falta de recursos da Secretaria de Saúde, ou mesmo sobre como o município chegou a este ponto. De qualquer forma, não deixa de ser um grande passo em direção a uma resolução positiva do impasse.

Os presentes à reunião foram os seguintes: do Ministério Público, Dr. André Clark Nunes Cavalcante, Dr. Francisco Elinatan Carlos de Oliveira Junior e Drª Camila Saboya. Do Executivo Municipal, Prefeito João Hudson; Secretária de Saúde Aída Magalhães; Diretora Administrativa do Eudásio Barroso, Srª Ana Silvia de Oliveira Alencar; Procurador -Geral do Município, Dr. Edil de Castro Cavalcante e o Assistente Jurídico da procuradoria municipal, Dr. Francisco Ramon Holanda dos Santos.    

Leia o documento: 


Jaime Arantes

Aliado histórico de Marina abandona Rede e diz ter feito 'papel de bobo'

EX-DEPUTADO LUCIANO ZICA
09/10/2013 - Próximo de Marina Silva desde a época do Ministério do Meio Ambiente, o ex-deputado federal Luciano Zica é a primeira baixa entre aliados históricos da ex-senadora por causa da filiação dela ao PSB.

Zica decidiu no final de semana abandonar o projeto de criação da Rede Sustentabilidade.

"Nossa proposta era a de fazer da política uma nova política. E o PSB não tem métodos menos velhos que os outros partidos", afirmou ele.

Então filiado ao PT, Zica foi secretário nacional de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente na gestão Marina (2003-2008). Trocou o partido pelo PV junto com a ex-senadora, em 2009.

Foi um dos coordenadores da campanha presidencial de Marina em 2010 e, com a saída dela do PV, passou a articular a Rede em São Paulo.

Apesar de não ter cargo na coordenação estadual, Zica era um dos responsáveis pela articulação da Rede com prefeitos, vereadores e deputados.

Ele diz que sentiu ter feito "papel de bobo" ao tentar convencer possíveis aliados sobre a "nova política".

"Passei meio de bobo na história. Não que eu não seja, mas não precisava ficar tão evidente", queixa-se.

"Gastei recursos, energia, tempo na perspectiva de que as discussões se dessem de maneira minimamente horizontal, mas na decisão mais importante vem uma pancada, uma decisão profundamente equivocada. Era uma coisa patética ver aquele ato de sábado. Acho que nenhum dos dois [Marina e Eduardo Campos] estava acreditando muito nisso", afirma.

Ele diz que tentou falar com Marina "duas ou três vezes pelo telefone" depois da decisão da Justiça Eleitoral que rejeitou o registro da Rede, na quinta-feira à noite, mas diz não ter sido atendido.

Depois disso, tomou a decisão de deixar a Rede sozinho. "Fiz igualzinho à Marina: não discuti com ninguém".

Para Zica, o PSB tem dois problemas principais: a identificação com a "política tradicional" e a posição "lastimável" em temas "fundantes" da Rede, como a sustentabilidade.

"É uma contradição muito grande. E, ressalvadas poucas pessoas, como a deputada Luiza Erundina, há muito poucos que se diferenciam da política tradicional."

Ele diz que a defendia que Marina ficasse fora da disputa e tivesse o papel de "consciência crítica" no período eleitoral.

Diz que agora pretende se dedicar a uma "militância de causas" e "fazer a campanha de algum candidato que ache interessante".

FONTE: Folha de São Paulo

OPINIÃO: "Reflexão de Partidos".

Por Higo Carlos
O momento é oportuno para se fazer uma boa reflexão de partido. De fato, grande parte dos partidos não cumprem com o que prometem aos seus filiados (as), que na maioria das vezes são chamados apenas para discutirem “ações partidárias” no período que antecede o pleito eleitoral.
As agremiações não fazem o debate direto com sua militância, deixando-a ausente no processo de construção das atividades, do trabalho e decisões do partido. Essa velha prática, antidemocrática e concentradora, tende a se esfacelar em curto espaço de tempo.
Ninguém mais pode subestimar a inteligência dos filiado (as). Há necessidade das direções partidárias mudarem, saírem da mesmice e partirem para uma atuação organizada e compartilhada ou terão que estar preparadas para a repreensão, que vai além do controle interno, ou seja, o gosto amargo da derrota nas urnas, já em 2014.
Partido justo é aquele que ousa manter um diálogo permanente com os filiados (as), que escuta os representantes dos diretórios e das executivas, que houve seus parlamentares e, efetivamente decide, através das plenárias, fóruns, enfim, discutindo cada passo com a militância e toda sociedade.
Por isso, acredito que se deve criar novas regras para se obter um registro partidário. Precisamos acabar com a sigla de aluguel, que só serve para acomodar os interesses politiqueiros, que não reúne nenhum projeto de desenvolvimento e desmoraliza o sistema político do nosso país.
Os movimentos de rua, ocorridos em junho, além de cobrarem reformas urbanas, transportes mais baratos e de qualidade e mais investimentos em educação e saúde, também refletiam sobre o modelo obsoleto de se fazer partido.
Tanto é verdade que naquele instante os dirigentes perceberam o distanciamento dos partidos no debate com os movimentos sociais, sindicatos, associações, CUT, federações e outros seguimentos da sociedade e se apressaram para dar uma resposta.
Contudo, não podemos ser coniventes, cobrar é o que nos resta. Lembrando que as lutas por mais saúde, educação, segurança, transporte, moradia, geração de emprego e renda, também fazem parte do escopo de esforços partidários. 
A responsabilidade é de todos, parlamentares, prefeitos, governadores e presidente, mas os partidos não podem, em hipótese alguma, fugir de suas missões ou se esconderem por traz de mandatos, atuando de forma omissa, pois o impacto deste contexto é revoltante e massacra diretamente nossa população.
Vamos pensar nisto?
OBS: Deixo claro que qualquer um dos vereadores, independente do partido político a que estejam filiados, podem enviar textos ao Blog Jaime Arantes. Basta utilizar o e-mail jaimearantesquixada@gmail.com. Da mesma forma, profissionais de qualquer área, mas especialmente nossos queridos mestres professores e professoras, podem se sentir à vontade para fazer o mesmo. Da mesma forma, seria extremamente prazeroso publicar textos enviados por estudantes de qualquer faixa etária. Assim que avaliado, os textos poderão ser publicados. Grato pelo apreço de cada um de vocês.
JAIME ARANTES

Após doze anos de serviços prestados ao Hospital de Quixadá, Dra. Paula Lira entrega carta de demissão do Eudásio Barroso.

Drª Paula Lira
QUIXADÁ, 08/10/2013 - Na tarde desta terça-feira, dia 8, a Drª Paula Frassinetti Lira de Oliveira entregou sua carta de demissão do Hospital Eudásio Barroso aos gestores da Saúde em Quixadá. Após doze anos de intensa atividade, Drª Paula não mais fará parte do corpo clínico daquele nosocômio. 

Paula Lira é uma das médicas mais experientes do Brasil no que diz respeito a atuação em saúde comunitária e de família, já que foi por aqui, ainda na primeira gestão de Ilário Marques, que o PSF começou, e ela fazia parte das primeiras equipes, tendo vindo da Paraíba a convite de Odorico Monteiro, então Secretário de Saúde de Quixadá. Em 2012, em reconhecimento aos serviços prestados por ela ao município, ganhou o título de Cidadã Quixadaense. Drª Paula sofreu recentemente com acusações da própria Secretaria de Saúde de Quixadá que, em nota divulgada na internet, afirmou que ela, sem motivos, se recusava a fazer atendimentos. O episódio grotesco repercutiu amplamente na imprensa falada e escrita da região.

Drª Paula, no entanto, permanecerá no PSF. Ela é funcionária concursada. 

Em sua carta de demissão, alega que tomou a decisão por razões estritamente pessoais.  Nos bastidores, colegas afirmam que a médica está decidida a se afastar do Eudásio Barroso, mesmo que lhe paguem os plantões atrasados. 

Ao conversar diretamente com a médica, ela forneceu a este Blog os seguintes esclarecimentos:
"Normalmente, não gosto e nem procuro exposição da minha vida. Entendo que um medico plantonista tem uma responsabilidade social relevante. Porém, a decisão em sair da escala de plantões foi porque tenho uma carga horária de trabalho muito grande. E como tinha pego plantões em outros municípios, não estava mais tendo condições em continuar com esse ritmo.
"Espero que os gestores de saúde e os funcionários e prestadores encontrem um denominador comum neste atual impasse.
Eu moro em Quixadá e trabalho aqui. Sou profissional da saúde e não tenho, nem nunca demostrei, nenhuma dificuldade para trabalhar com qualquer gestão,  seja ela do partido que for. Sempre deixei isso muito claro durante todo o tempo que tenho atuado aqui."
Quixadá vive um momento bastante delicado na área da saúde, especialmente no que diz respeito ao Hospital Eudásio Barroso, que a partir de amanhã, dia 9, poderá ficar sem nenhum plantonista. Os médicos já avisaram que não querem que isto aconteça e um plantonista, em especial, disse a este Blog que não suportaria ver o Hospital sem médicos.  

DEMISSÕES DE ENFERMEIRAS
Na tarde de hoje, Agentes Comunitárias de Saúde nos bairros São João e Renascer paralisaram suas atividades. Isto ocorreu como reação à demissão da enfermeira Suelen Alexandre Pinto. Este Blog obteve a informação de que as demissões atingirão enfermeiras de outros Bairros e de pelo menos dois distritos, a saber: Campo Velho, Campo Novo, Combate, São João, São João dos Queiros e Riacho Verde. Enfermeiras concursadas, atualmente exercendo funções no Eudásio Barroso, seriam lotadas no lugar das enfermeiras demitidas.

VISITA À PROMOTORIA
Gestores do Município estiveram hoje na Promotoria Pública de Quixadá. Aparentemente, o Promotor Público, Dr. André Clark, não aceita que o Hospital feche nem um único dia sequer. Ele conversou longamente com o Prefeito João Hudson. 

POPULAÇÃO APREENSIVA
Enquanto estes eventos se desenrolam, a população fica bastante apreensiva e todas as pessoas de bem torcem para que os plantonistas não deixem de atender no Hospital Eudásio Barroso e para que o Prefeito João Hudson consiga encontrar uma solução emergencial para esta crise sem precedentes. 

AGENTES COMUNITÁRIOS REAGEM À DEMISSÃO DE ENFERMEIRA E PARALISAM ATIVIDADES NOS BAIRROS SÃO JOÃO E RENASCER

QUIXADÁ, 08/10/2013 - Numa reação indignada por causa da demissão da Enfermeira Suelen Alexandre Pinto, ocorrida nesta terça-feira, as Agentes Comunitárias de Saúde que atuam nos Bairros São João e Renascer, em Quixadá, paralisaram as atividades. 

Elas reivindicam que a demissão da enfermeira seja revertida, já que, segundo dizem, é uma profissional atuante, comprometida e totalmente dedicada ao trabalho, por vezes tendo feito sacrifícios pessoais em prol dos serviços de saúde da área em que atua. Desde agosto a agente demitida estava sem receber seus proventos. Mesmo assim usava seu carro, gerando despesas pessoais, para continuar atendendo a população em suas visitas domiciliares. 

Suelen Alexandre, 28 anos, trabalhava há um ano e cinco meses como enfermeira nos bairros citados, auxiliando os médicos em suas atividades e fazendo visitas periódicas às famílias. Muito querida por populares da região, a demissão de Suelen causou grande indignação. 

As Agentes Comunitárias de Saúde marcaram uma reunião com a Secretária de Saúde, Aida Magalhães, para amanhã, dia 9, e dizem esperar que o bom senso se mostre superior ao autoritarismo.

Estima-se que os Bairros São João e Renascer acolham uma população de cerca de 14 mil pessoas. Uma única equipe do PSF é responsável pela área, atendendo a cerca de 3 mil famílias. 

Informações obtidas por este Blog dão conta de que as demissões atingirão, pelo menos, seis enfermeiras dos bairros Campo Novo, Campo Velho, Combate, São João (sede), São João dos Queiroz (distrito) e Riacho Verde (distrito). Como justificativa para as demissões, a Prefeitura tem alegado a necessidade de fazer contenção de despesas.

SAIBA MAIS: 
DEMISSÃO DE ENFERMEIRA DECEPCIONA MORADORES DO BAIRRO SÃO JOÃO
Jaime Arantes

INCOERÊNCIA: Há seis meses, Marina afirmou não ver diferenças entre Campos, Dilma e Aécio

08/10/2013 - A ex-senadora Marina Silva, recém-filiada ao PSB após o fracasso na criação do seu partido, o Rede Sustentabilidade, afirmou, em entrevista ao jornal "O Estado de S. Paulo" em março deste ano, que o governador de Pernambuco e pré-candidato à Presidência da República, Eduardo Campos, com quem articulou seu ingresso na legenda, não apresentava diferenças com relação à presidente Dilma Rousseff e ao tucano Aécio Neves.
A afirmação foi feita no momento em que Marina criticava a precocidade do debate eleitoral. "Antecipação da eleição leva para uma agenda do imediatismo que não nos dá o tempo para colocar termos de referência claros. Qual a diferença se for Aécio Neves, Eduardo Campos ou a Dilma? Tem diferença em relação ao modelo de desenvolvimento? Me parece que até agora todos estão no mesmo diapasão."
No último sábado (5), durante a assinatura de sua filiação ao PSB, Marina se confundiu e afirmou que se tratava de uma "coligação pragmática". A ex-senadora prontamente corrigiu a afirmação e disse tratar-se se uma "coligação programática". Acrescentou, na sequência, que a ideia da Rede não estava abandonada.
Além de Marina, outras figuras de peso que iriam aderir à Rede se filiaram ao PSB, como os deputados federais Walter Feldman (ex-PSDB-SP) e Alfredo Sirkis (ex-PV-RJ). 

FONTE: UOL Notícias

DEMISSÃO DE ENFERMEIRA DECEPCIONA MORADORES DO BAIRRO SÃO JOÃO

QUIXADÁ, 08/10/2013 - Profissionais de saúde que atuam no Bairro São João, em Quixadá, e populares estariam indignados com a demissão de uma Enfermeira, cujo nome não será mencionado nesta matéria. 

De acordo com as informações que chegaram a este Blog, a enfermeira trabalhava desde julho sem receber seus proventos. Ela cobria uma área onde moram cerca de três mil famílias. A profissional fazia visitas às famílias da região usando o próprio carro. Estima-se que aquele Bairro acolha cerca de 14 mil pessoas.

Vale ressaltar que o preconizado é que uma enfermeira atue para um número de seiscentos a mil famílias. O ideal para uma população deste porte é que houvessem pelo menos dois ou três equipes de PSF, mas o São João só conta com uma equipe. 

Decepcionado, um médico afirmou o seguinte: "Essa enfermeira se virava nos trinta para dar conta do serviço. Mesmo com salários atrasados, sem estrutura para trabalhar direito, sem material para atuar e sem medicamentos, ela se se dedicava exemplarmente. Aí fazem isso...considero esta administração dos assuntos em Quixadá algo lamentável". 

Outros profissionais da saúde trabalham apreensivos, sem saberem exatamente o que ainda os aguarda até o fim dessa crise.

Jaime Arantes
ACOMPANHE JAIME ARANTES NO FACEBOOK

CRISE NA SAÚDE: "Ninguém quer que esse Hospital feche", diz médico.

QUIXADÁ, 08/10/2013 - A possível suspensão dos atendimentos hospitalares no Eudásio Barroso, em Quixadá, continua gerando apreensão nos cidadãos deste e de todos os outros municípios que se beneficiam dos serviços ali oferecidos. 

Os médicos e o Diretor Clínico, Dr. Kleiber Marciano Lima Bonfim, sinalizaram durante toda a semana passada que deixarão o Hospital na próxima quarta-feira, dia 9, caso algumas reivindicações não sejam satisfeitas pela administração municipal. 

Os médicos estão preocupados por pelo menos dois motivos. Primeiro, eles não querem parar os atendimentos. "Ninguém quer que esse hospital feche. Nós e nossas famílias precisamos dele. A única emergência clínica do município é no Eudásio Barroso. Se qualquer um de nós sofrer um acidente ou tiver um problema grave, não tem plano de saúde que cubra esse atendimento aqui", disse um deles ao Blog Jaime Arantes. 

Segundo, os médicos não veem suficiente habilidade por parte dos gestores para resolver o impasse. De acordo com as informações que repassaram, a Secretária de Saúde,  Aida Magalhães, teria proposto que apenas um único plantonista atendesse na emergência do Hospital. Segundo ela, a medida geraria economia. Os médicos, por sua vez, não acham a proposta viável. "Um único médico para atender 120 a 150 pessoas é contraproducente. Se com dois já está do jeito que está...", afirmam eles. 

Amanhã haverá uma reunião de emergência entre os gestores municipais e os médicos. Os profissionais médicos defenderão a seguinte pauta: (1) Pagamento dos plantões em atraso; (2) Que haja dois clínicos por plantão, e (3) Regularização do vínculo dos servidores efetivos que estão prestando plantões como terceirizados, o que, aparentemente, é ilegal

Segundo os médicos, "há seis plantonistas que são servidores públicos. Eles dão suas jornadas nos postos de saúde como servidores e fazem plantões extras no hospital. Até a gestão passada, o valor dos plantões era pago junto com o contracheque da prefeitura, a título de extra. Nessa gestão, porém, passaram a trabalhar no hospital como cooperados, gerando a excrescência jurídica de um servidor público trabalhando como terceirizado para a administração."

Os médicos afirmam que toda a problemática começou quando uma cooperativa passou a atuar como intermediária entre a Secretaria de Saúde e os profissionais de saúde do município. A cooperativa recebe os valores e faz os pagamentos. Trata-se da DINÂMICA - COOPERATIVA DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE LTDA, com a qual, só este ano, a Prefeitura já declarou ao Portal da Transparência ter tido uma despesa de mais de cinco milhões de reais. (veja aqui.)

Informações dão conta de que esta cooperativa cobra da Secretaria de Saúde uma taxa de cerca de 15% sobre a Folha de Pagamentos dos prestadores de serviço. "Se considerarmos as informações que a secretária fornece sobre a folha, essa taxa mensal pode atingir o valor de até R$ 120.000,00", explica outro médico. E acrescenta: "Consideramos essa despesa absurda e completamente desnecessária."

Este Blog indagou aos profissionais de saúde sobre o que eles acham ser a razão para o uso que a prefeitura faz desta cooperativa. A resposta foi simples, direta e até bem humorada: "Simples assim: a Folha tinha ultrapassado o limite legal de 54% do orçamento. O TCM iria bloquear as contas. Jogando os prestadores na cooperativa, você pode contratar a torcida do Palmeiras todinha (a mancha verde), e não precisa informar os gastos como despesa com Folha de Pagamentos." 

A situação é tão obviamente absurda que dispenso fazer comentários adicionais. Aliás, não dispenso apenas uma observação. A seguinte: Senhores vereadores, este município precisa muito de vocês!

Jaime Arantes